domingo, 25 de abril de 2010

BEIJOS PARA DESPARASITAR A FARMÁCIA USPIANA



O pasquim "O Parasita", editado pelos estudantes de Farmácia da USP publicou em sua última edição uma promoção polêmica. O texto explicitamente homofóbico, com pretensões satíricas convidava os alunos a jogar fezes em alunos gays que freqüentam o campus. Os editores prometiam em troca “convites” gratuitos para a Festa Brega.

Em um Estado democrático é intolerável que tal comportamento declaradamente homofóbico – e mais ainda -, violento e ameaçador, seja tolerado e encontre eco.

A sociedade não pode ficar refém daqueles que abusam de seu direito à liberdade de expressão ou mesmo de imprensa para atacar covardemente – lembrem-se que o texto foi escrito de forma anônima uma parcela da população brasileira, seja ela qual for.

Vale lembrar que a Constituição Federal veda o anonimato, assim com a lei condena a homofobia e, acima de tudo, defende a dignidade humana e os direitos humanos A sociedade deve repudiar tais atitudes: a homofobia, a violência e a ameaça.

Um ambiente acadêmico e de alto nível como a USP não pode ser palco para demonstrações preconceituosas e para a perpetuação de lugares-comum e estereótipos preconceituosos e discrepantes ao ambiente e à humanidade.

O respeito e a convivência com semelhanças e diferenças é um princípio básico para a coexistência humana e, o ambiente acadêmico deve ser marcado com este respeito e este convívio para que seja perpetuado e reproduzido.

Longe de aceitar que o assunto seja tratado como mera brincadeira inconsequente ou como algo corriqueiro, a sociedade, e a comunidade uspiana, devem agir de forma decidida, firme e direta, contra este tipo de demonstração incompatível com a vida em sociedade.

Um beijo, contração e distensão muscular, encontro de corpos que só se dá na liberdade. Na farmacopéia da terapêutica da existência, não há receita melhor para combater o parasitismo que gera a discriminação e a homofobia que o exercício democrático da liberdade. Liberdade, que para a jazzista Nina Simone, é não precisar sentir medo do outro. Beijar é, politicamente, o ato mais simples que o desejo pode construir. Ainda mais, se ele unir a liberdade à terapêutica anti-parasitária e à uma profilaxia do existir. Sem frustrações, sem dor, sem medo. Beijar é um ato político, ao mesmo tempo simples e radical. Uma forma de alargar o espaço da liberdade e da democracia.

Nada que os parasitados Parasitas, homofóbicos (com ênfase no fóbicos, pois que o medo que eles cultivam é o pai da violência que os domina), suportem. Ver um beijo livre é a dor suprema para quem teve os lábios selados pelo parasitismo da frustração.

Por isso, e para enfraquecer essa força coercitiva que se insinua como predominante no curso de Farmácia da USP, é que convocamos todas as pessoas livres (ou seja, quem quiser e puder participar), para um beijaço (Kiss IN), no dia 20 de maio, às 18:30 horas, em frente ao prédio da Farmácia/USP[1]

“Tire o seu parasitismo da frente, que eu quero passar com o meu amor”.

Todos aqueles que se sentirão ofendidos pelo texto de ódio, brasileiros ou não, homossexuais ou não, estão convidados para participar desse ato independente de sua orientação sexual.

Texto coletivo: @Guttto @polivocidade @vinnywizard @tsavkko


[1] Av. Prof. Lineu Prestes, 580 São Paulo - SP

17 comentários:

La Pasionaria Ibarrure disse...

Vamos lá gente linda.
Vamos beijar muuuuuuuuuuito.

Débora disse...

mas dia 20/05? até lá todos já terão esquecido

Thais disse...

Ei, perai..."se insinua predominante no curso de Farmácia"?

Preconceito, hein?

Juliana disse...

Sou aluna da Farma USP e apoio totalmente o protesto, principalmente por ver que um ato criminoso, como a incitação ao ódio promovida pela publicação, será rebatido com um gesto de afeto.
Só queria dizer também que esse pensamento não é predominante na Farmácia. Nem pode ser, já que a comunidade gay na nossa faculdade é muito grande.
Infelizmente, a besteira que um grupo de ignorantes divulgou está sendo tomado como opinião da maioria, o que não é verdade.

Boa sorte e, se tudo correr como planejado, nos vemos em maio.

Leonardo disse...

Também sou aluno da Farmacia USP e mais uam vez quero dizer que a opnião expressa pelo intitulado "jornal" O Parasita é de longe a opnião vigente na faculdade. E gostaria de sugerir uma divulgação maior para o evento fora o blog pois nem todos irão receber esse convite!

Até maio!

Daniel disse...

Concordo com o Beijo mas como outros colegas meus da farma-USP gostaria de reforçar que não é predominante no curso de Farmácia da USP esse pensamento. Concordo com que a Thais disse, esse comentário beira ao preconceito.
Antes de julgar todo o curso como muitos veiculos da midia andam fazendo, vejam como realmente é a mentalidade geral do curso antes de fazer tais afirmações!
E concordo tb com a Débora, dia 20 está mto longe, vamos marcar pra essa semana!

polivocidade disse...

Companheiros farmacêuticos,

Evidente que em nenhum lugar onde existam pessoas, existe a predominância absoluta de um ou outro discurso. Assim fosse, não haveria mudanças na ordem política. Mesmo na mais sangrenta ditadura, há aqueles que discordam.

O predominante, no texto, não se refere a número, ou quantidade. Claro é que o predomínio físico é de alunos que respeitam e convivem com a homossexualidade, num clima de respeito mútuo.

Mas quando falamos em termos de discurso, o que determina sua predominância ou não é a intensidade, não a quantidade. Daí o texto se referir a um discurso homofóbico como querendo predominar. É uma questão simples: na sociedade midiática, quem domina o canal, domina a imagem. E no plano midiático, esse pensamento retrógrado acabou prediminando, o que pode fazer com que se gere preconceito em relação ao curso de farmácia, que é - como dissemos em outro texto em nosso blog - tão importante quanto qualquer outro na constituição da sociedade.

Daí ser preciso combater esse discurso homofóbico e parasitário. Alguém, em algum lugar, terá dito que o silêncio dos bons ajuda na prevalência do mau.

É nesse sentido que falamos em predominância do discurso homofóbico. Ele não vem do curso de farmácia, mas através de alguns de seus membros, quer se fazer predominar. O que, evidente, e com as manifestações que vocês tem colocado aqui, não deve ocorrer. Que bom. Sinal de que uma farmácia soberana e democrática quer se fazer predominar sobre o discurso da dor e da violência.

E vamos nessa, que beijar é bom.

Abraços poliafetivos.

Do Que Os Gays Gostam disse...

Gente, ninguém vai esquecer. É só lembrarmos nossos amigos e afins quando estiver chegando a data.
Farei o seguinte: Colocarei um post quando estiver chegando perto da data, sem falar que dá para tuitar isso também né?? Só pedir para darem RT.

Vamos divulgar o máximo que pudermos.

Coloquei uma matéria em meu blog, ela entrará no ar no dia 29/04.

Se quiserem podem mandar o seguinte link [http://migre.me/zxda] no twitter no dia 29, assim as pessoas vão poder ler a matéria e saberão o local do beijaço!!

Beijos


Peagá

Flávio disse...

Olá, tudo bom?

Por favor, de onde saiu a citação da Dra. Nina Simone? Bem bacana.

Grato.
Abraços,
Flávio

polivocidade disse...

Flávio, segue o link da citação. Na reportagem:

http://polivocidade.wordpress.com/2010/04/25/para-comear-a-semana-nina-simone/

Anônimo disse...

Acho que poderiamos marcar todos os Estudantes da USP um beijaço nesse horário em todas as quartas da semana na região do prédio da Farmácia, até do dia 20/05... que tal?

Será que o DCE pode ajudar em algo?

Ricaro (ECA) disse...

Enquanto isso na maior universidade do país um grupo incita os alunos a jogarem merda nos colegas gays, em evidente abuso de violência homofóbica. O que vai acontecer com eles? Nada? A USP não vai fazer nada? E o DCE? Que silêncio é esse do DCE?

Acho que devemos fazer isso, fazer da farmácia um lugar de namoro todas as quartas, ... Beijaço na laje da Farmácia todas as quartas feiras. Convoco em especial os alunos da ECA e FFLCH para desmontar esses ressentidos homofóbicos !

@cafusp disse...

Caros, o CAF já divulgou o ato no twitter e logo mais divulgaremos no nosso site, também.

Já tentaram entrar em contato com o DCE para eles se incorporarem no ato?

Sabrina Roxx disse...

É isso aí!!! Já coloquei um link no meu BLOG! Vamos divulgar gente!!! Estarei lá... belíssima! BEIJAÇO JÁ!

Lissa disse...

Se eu morasse perto eu iria junto com minha mulher dar esse beijaço... Ahhhhh, ia mesmo...

Augusto Darien Breytenbach Bazárov disse...

Atenção!!!! Haverá um pré-beijaço contra a Homofobia na USP dia 04/05 18h no gramado da Faculdade de Farmácia. Divulguem: http://bit.ly/adeMZd

Anônimo disse...

Wendel diz: Beijar é poooooooouccooooo!!!Vamos beijar, abraçar, tirar a roupa, jogar muito amor!De merda o munda já tá lotado!!!!Falo daqui, Faculdade de Ciencias Sociais da Federal de Ouro Preto, e se pudesse estaria com certeza por aí beijando muuuuuuiiiiitoooooo!!!!!Um abraço e muito beijo pra todos!!!!Digamos não ao preconceito, à intolerância!!!Vamos crescer gente!