domingo, 25 de janeiro de 2009

Razão Histórica de JÖRN RÜSEN



Por Augusto Patrini Menna Barreto Gomes,


historiador formando pela USP




A Teoria da História tem como tarefa a realização da auto-reflexão, serve para pensarmos o processo de fazer história, levando em conta que “Não se pode de forma alguma pensar um processo histórico de conhecimento em que o próprio sujeito (historiador) do conhecimento deixasse de debruçar-se sobre si mesmo”. Assim, o olhar do historiador deve passar dos seus objetos para seus princípios, - ou seja, a teoria verá como, nos diversos campos do historiador (pesquisa, ensino, historiografia, etc), esses princípios surgem e como são ou serão tematizados. Considerando-se, claro, a história como uma prática interpretativa, em toda sua variedade cognitiva e metódica, e em suas várias formas de apresentação. Na teoria da história, “Seus objetivos são os fundamentos e os princípios da história”, ou seja, é sua matriz disciplinar.



A Teoria da História debruçasse, assim, sobre os “interesses” do historiador para entender como se da a reflexão que reveste o passado do caráter de “história” e, que acaba por decidir como deve ser interpretado o “caminhar” do homem e do mundo. Estes chamados interesses, no entanto, nascem de carências de orientação no tempo – e são assim o sentido da fazer história. São idéias, critérios orientadores de sentido ou perspectivas nas quais o passado aparece na história. Ora, o passado é tempo experimentado, mas submetidos a idéias, para revestir-se, de tal modo, de qualidades históricas. Se a história somente existe se houver fontes do passado, e essas fontes representem as experiências concretas do homem, o fazer história é conformar e interpretar – para orientar o tempo. O autor, assim, interessa-se pelas condicionantes do trabalho do historiador.



A história é, portanto feita de perspectivas (idéias) quanto ao passado, orientadas por interesses nascidos de carências e interpretadas com método – transformadas ao fim em saber histórico.



Nesse processo assume grande importância os métodos de pesquisa histórica, que regularão o pensamento e fundamento do conhecimento histórico, expresso, por sua vez, na historiografia. Estes métodos servem como formas de apresentação.



Resumindo, os cinco fatores do pensamento histórico se dão de tal modo:



Os Interesses originados de carências no tempo (interpretadas), dão origem a idéias (perspectivas orientadoras da experiência do passado), que são trabalhadas com métodos (reguladores) para expressarem-se por formas (de apresentação) definindo assim funções (de orientação existencial).


Há, como fica evidente, uma total ligação entre estes cinco fatores, que são constitutivos do pensamento histórico. A teoria da história, ao pensar este processo de orientação reveste-se de um caráter matriz e disciplinar na ciência da história. Ela permite que se reconheça que o fazer “história” pode mudar a vida do homem, assim como a vida do homem pode transformar os vários campos de atuação da história, entre eles a historiografia e a pesquisa histórica, o estudo e o ensino da história. Portanto, isso possibilita que o “pensamento histórico se manifesta como inquietação por mudança”.



Para o estudo da história, sua pesquisa e seu ensino, a teoria (da história) assume um papel de profissionalização didática dos historiadores. Além disso, também assume a função propedêutica, a função de coordenação – enunciando a especificidade, a função e os limites do conhecimento histórico, além das funções de motivadora, organizadora, de seleção, fundamentação e mediação.



O autor defende posições clássicas na teoria da história, contrapõe-se aos chamados pós-modernos. Para ele, as questões do presente determinam o olhar para o passado.

4 comentários:

Kim Sousa disse...

Adorei o texto, um bom resumo...
Estou lendo esse livro e precisava mesmo de uma luz, pois estou achando ele um pouco complexo...

Wagner Feio disse...

"Excelente resumo!muito adequado para um tema um tanto complexo...nós os profissionais de História precisamos de textos acessíveis como esse.Parabéns!

Renan disse...

Bom resumo, particularmente esclareceu muita coisa...

Anônimo disse...

Adorei o resumo,agora ficou bem
mais clara as ideias.O livro é
bem complicado e agora to conseguindo entender.